segunda-feira, 30 de abril de 2012

sábado, 28 de abril de 2012

terça-feira, 24 de abril de 2012

segunda-feira, 23 de abril de 2012

sábado, 14 de abril de 2012

O MOSQUITO

Vem, dengoso,
o mosquito curioso.


Nascido  no mangue
voa atrás de sangue.


Atrás da hemácia
supera qualquer audácia.

A fêmea, vampira,
do sangue a retira.

Água limpa e parada
é a sua morada.

No pneu, a chuva
lhe cai como luva.

No pote vazio
nasce sadio.

Pica o doente
antes do poente.

Com vírus na saliva
voa à deriva.

Nova picada:
a doença disseminada.

Ao seu passar ruidoso
o corpo fica moroso.

A febre, um sinal.
O sofrimento, geral.

A dor de cabeça
lhe prega uma peça.

Na articulação
pode ser confirmação...

Acabou o merengue:
estou com dengue!


quarta-feira, 11 de abril de 2012

segunda-feira, 9 de abril de 2012

RECOLHIMENTO MOLUSCULAR

Para o Erick Takahashi,
de quem tomo de empréstimo 
a expressão-título do poema


Da concha, o caracol
ausculta  o mundo:
tentáculo-farol









domingo, 8 de abril de 2012

NADA A COMEMORAR

Domingo de Páscoa, 8 de abril de 2012

Ovos de chocolate
parindo brinquedos

Maria, Maria...

Passeio no parque
Subir as montanhas
ficar perto das nuvens
cobertas de cinza
verde musgo
azul profundo

Sobrevivi a Cristo

O vazio natalício
já era previsto!





MILLÔR (2ª versão)

De Millôr, num pulo
para Bashô:
suave mergulho
                (plóóp!)

sábado, 7 de abril de 2012

quinta-feira, 5 de abril de 2012

MILLÔR


Num pulo: de Millôr, 
um mergulho
para Bashô


Uma singela homenagem àquele que me apresentou 
o fascinante mundo dos haikais

domingo, 1 de abril de 2012

EXPERIMENTE!

Sugestão do dia: Viviane Mosé

Da SEQUÊNCIA "POEMA-PRESO" - SEM TÍTULO


muitas doenças que as pessoas têm são
poemas presos
abscessos tumores nódulos pedras são
palavras
calcificadas
poemas sem vazão

mesmo cravos pretos espinhas cabelo
encravado
prisão de ventre poderia um dia ter sido
poema

pessoas às vezes adoecem de gostar de palavra
presa
palavra boa é palavra líquida
escorrendo em estado de lágrima




lágrima é dor derretida
dor endurecida é tumor
lágrima é alegria derretida
alegria endurecida é tumor
lágrima é raiva derretida
raiva endurecida é tumor
lágrima é pessoa derretida
pessoa endurecida é tumor
tempo endurecido é tumor
tempo derretido é poema


(Poemas do livro PENSAMENTO CHÃO. Sete Letras, 2001. In: http://vivianemose.com.br/#)