ÚLTIMAS POSTAGENS

sexta-feira, 15 de julho de 2011

HISTÓRIA DE INTERNAUTAS

História bonita foi aquela.
De início, já tinha fim.
Mas, mesmo assim,
foi uma querela.

Estavam os dois
cada qual no seu canto,
quando, por um capricho do destino,
se conheceram, como por encanto.

Não queriam ser
como os outros que estavam lá.
Só queriam saber
do que mais ninguém
já conseguia pensar.

Permitiram-se imitar
e também puderam inventar,
o que jamais se pensou
que se pudesse ali,
naquele espaço, criar.

Intensa foi a vivência,
sentida a relação.
Se descobriram afinidades mil.
Vontades, ah! não faltaram não!

Mas o fim se aproximava,
porque o tempo, mesmo virtual,
não deixava de ser real.
Nenhum dos dois queria ir
e prolongaram ao máximo
o desfecho, o sumir.

Mas o destino é caprichoso,
e da mesma forma que uniu
também não desistiu
de botar fim
naquele encontro sutil.

Um clique errado,
um vírus mal arquivado,
e vai que, de repente,
uma pane se instala
no PC da moça carente.

De um encontro já desencontrado,
de um querer que nem
queria tanto assim,
os dois viram-se, de repente,
sem um ao outro, sem porvir.

Cadê a moça que sumiu?
E o moço saiu a procura,
naquele espaço, já servil,
do fio partido,
tentando, inutilmente,
unir novamente,
o que não se mais podia
encontrar naquela rede.

A moça, por sua vez,
tentava, desesperadamente,
se conectar novamente.
Mas, que ilusão!
Branca era a sua tez,
trêmulas as suas mãos.
Restabelecer o contato,
não pôde mais não!

2 comentários: